Aquele com os Evangélicos na TV

Padrão

Image

         A pergunta em questão ou a questão da pergunta é: De onde as emissoras abertas e pertencentes a pessoas ateias e capitalistas tiraram a brilhante ideia de colocar cantores pregadores na programação?

        Será mesmo que eles querem propagar a “palavra do cristo” assim do nada, tipo: Porra, sabe o que seria massa? Jesus… Ou será que eles já captaram que 140% tipo na Rússia da população brasileira é evangélica em Cristo?

        Estou certa que não vou chegar em conclusão nenhuma, porque pra falar a verdade, eu não sei porra nenhuma da vida da comunidade evangélica baiana ou brasileira e, diga-se de passagem, nem ligo. Eu só quero mesmo entender e falar, porque falar é sempre produtivo so we hear.

        Acho que no caso da Globo, depois que você tenta Especial de Roberto Carlos em Jerusalém, 300 especiais do Didi de férias e uma entrevista da Xuxa com a baixinha Beyoncé e nada disso funciona, você tem que catar uma saída. Por definição, a Globo não é uma emissora de Deus… Apesar de ser uma das duas emissoras que produzem um evento conhecido que funciona de arrecadação de dinheiro – fora a questão frequentemente levantadas sobre a campanha ser duvidosa – para “caridade”. Enfim… A Globo não é de Deus, mas a Record Glória a Deus é. Ah, se é… É no nível “10% do seu salário ou Karl Marx vai te arrastar pro inferno com ele”

      Nos tempos de glória onde as pessoas abriam os mares, o dízimo era usado pra manter os sacerdotes e também assistir os órfãos, viúvas e os pobres. Bem diferente do que é hoje, não é, Imensa Igreja Desnecessária na Av. ACM?  Segundo dizem…

        Mas eu acho que não deveria entrar nessa questão.

        MÚSICA GOSPEL… Direto ao ponto. Pá…

        Com base num senso crítico muito ácido, diria que toda religião aliena. A pessoa se fecha a tudo que essa religião chamaria de “proibido” ou “ruim” ou qualquer outro adjetivo feio. E como seguidora desse pensamento, realmente acredito que tudo isso é uma puta perda de tempo, fora uma puta sacanagem.

        Música gospel é um saco. É tudo igual. Pelo que entendo de letra – estudo História, nada a ver – é tudo a mesma informação. Você encontra Deus ou ele te encontra e é sempre aquela coisa do “te peguei, ha-ha” e aí ele te salva. Mas ele não só te salva, ele é exibicionista o bastante pra te “mostrar” que ele te salvou e você não só “entrega sua vida a Ele” e “Ama só a ele”, mas faz você canta isso em rede nacional.

PS¹: As aspas são pra indicar que só estou reproduzindo o discurso.
PS²: Se você só ama a Deus, então seus filhos, marido e família se fuderam.
 

Mas então….

        Matemática one-on-one, se o número de pessoas que passaria a assistir o canal só por causa das música gospel aumentasse, o número de pessoas que mudaria de canal também aumentaria. FATO!

        Mas pensa comigo: Alguém já parou pra olhar a audiência das emissoras evangélicas em horário de programa gospel contra, por exemplo, a TV Globinho do capeta?

        Alguém já parou pra procurar ver quem ganha: a Bahia FM no radinho ou a Qualquer.Emissora.de.Rádio.em.Cristo?

        Aí alguém vai e diz “Ah, tá, mas o povo não aceitou Jesus” e minha única resposta é: E você com isso? E daí? Você não já vai pro céu por tais e tais motivos que você julga fazerem sentido? Pois. Então fechou, bombou.

        Dou muito crédito a missão evangélica no geral: salvar almas. Acho, sem sacanagem, isso muito válido. Tipo: Eu era drogada e encontrei Jesus. Pra mim é ótimo assim. Ele encontra Jesus, bate um papo, não se droga mais, não trafica, não pega meu celular e o mundo vai girando. Mas baseado entendeu o trocadilho? em que poderia se pensar que a veiculação da música gospel seria um meio válido de conversão e de salvação do mundo se muitas outras religiões tem esse papel há muito mais tempo e com a mesma, senão mais, eficiência?

        Bom, o que eu quero dizer é, a Globo não se importa com isso. Nem nenhuma outra emissora, porque se se importasse elas não seriam emissoras, seriam ONG’s. Não é o papel delas propagar uma religião, uma idéia, um Deus. O papel delas é mostrar, mesmo, beijos e sexo e drogas e gays e patricinhas e assassinos e tudo.que.queremos.ser.

        Quem encontra Jesus não vai mais pro céu do que um mulçumano honesto ou um budista pacífico. Se cada religião ficasse na sua, sem condenar a outra, sem tentar converter uma a outra, aí sim o mundo ia ser melhor e isso ia deixar de se chamar tolerância e passar a ser respeito e depois passar a não ter nome, porque não existe mais o que se dizer sobre…

Conclusão: A Globo tem muitos problemas psicológicos e a diretora ou diretor de programação precisa dar umas por aí. O povo quer é beber comer e fuder, Record. O “rezar” fica por conta da Julia Roberts. 
E se eu mudei de assunto lá pelo meio ou pelo começo… Ah, well. Não ganho nada com isso mesmo.
Anúncios

Uma resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s